#Resenha: A Última Carta de Amor

A Última Carta de Amor não chega a ser um dos melhores livros de Jojo Moyes (Como se Fosse a Primeira Vez continua sendo a melhor obra até o momento que já li), mas deixa uma vontade de descobrir o que pode acontecer no final do livro em meio as histórias que se cruzam, o passado e o futuro.

A Última Carta de Amor – Jojo Moyes (Foto: Andy Santana)

Ellie Haworth vive um relacionamento complicado, é a outra. Ela se relaciona com um autor de livros famoso e casado, e ainda nutre a esperança de ser a única dona de seu coração, em meio a crise de administrar suas fugidas com o “namorado”, se encontrar com as amigos regularmente é também incumbida pela sua chefe, de encontrar uma reportagem digna de capa do jornal em que trabalha. Em sua busca aos arquivos do jornal descobre uma carta antiga de amor, e tenta desvendar o paradeiro dos amantes.

Em paralelo, a história resgata o passado de Jennifer Stirling que em 1960 se vê num relacionamento parecido com o de Ellie. Jennifer é casada e se apaixona por B. um jornalista mulherengo e bastante viajado. Sem resposta os amantes se distanciam com o tempo deixando uma história de amor mal resolvida. Ellie em posse de informações tenta descobri o que aconteceu em meio a tantos anos e acontecimentos e também em entender e resolver a sua vida pessoal e amorosa. Prepare o lenço porque em momentos certo as lágrimas aparecem.

Livro: A Última Carta de Amor
Autora: Jojo Moyes
Editora: Intrínseca
Nota: 3/5
Página: 384

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *