#Resenha: Quase Tudo: memórias

Danuza Leão foi dona de butique, membro de júri de programa de auditório, relações públicas, entrevistadora de TV, produtora de novela, cronista social, publicou um livro de enorme sucesso sobre etiqueta moderna. E resolveu contar “Quase Tudo” de suas memórias, são histórias que começam em sua infância, passam pela adolescência e chegam à fase adulta com muita diversão, tristeza e saudades.

Quase Tudo – Danuza Leão (Foto: Andy Santana)

Danuza saiu do Espírito Santo aos 10 anos e foi morar no Rio de Janeiro, onde conheceu tudo o que de maravilhoso que poderia acontecer à sua vida, foi descoberta como modelo e morou em Paris, teve amizade com os boêmios mais famosos de sua época (Vinícius de Moraes), casou, teve filhos, viajou, separou e é feliz.

Entre os tantos desafios que teve, enfrentar a ditadura, o exílio, a morte da irmã e do filho, teve suas recompensas, foi relações públicas de uma das casas noturnas mais badaladas que o Rio de Janeiro já teve, conheceu pessoas importantes, escreveu para os maiores veículos do país, trabalhou na Globo e entre tantas histórias engraçadas, você tem uma aula de boas maneiras, de moda, história e tudo mais que a sua mente permitir, pois as memórias da Danuza Leão são ricas e frescas. Se permita, eu amei!

Livro: Quase Tudo: memórias
Autora: Danuza Leão
Editora: Companhia das Letras
Avaliação: 4/5
Páginas: 224

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *